Pular para o conteúdo principal

Diagnóstico por imagem é importante aliado na especialidade de cabeça e pescoço em otorrinolaringologia

O diagnóstico médico por imagem mudou de uma maneira nunca imaginada antes. Cada área da medicina clínica foi afetada de forma profunda. Na área de otorrinolaringologia, por exemplo, os radiologistas são capazes de auxiliar de várias maneiras: proporciona o diagnóstico primário, confirma uma impressão clínica, avalia a anatomia regional e a extensão da doença, auxilia no tratamento definitivo dos pacientes e acompanha a resposta ao tratamento.

A interpretação das imagens deve sempre ser feita em conjunto com a informação clínica. Para proporcionar um diagnóstico diferencial prático para as lesões de massa no pescoço, aconselha-se uma abordagem com base nos espaços do pescoço definidos pelas fáscias cervicais. Com isso, o conhecimento sobre a aquisição de imagem da cabeça e do pescoço por parte do otorrinolaringologista é fundamental.

A 6ª edição de “Cummings Otorrinolaringologia Cirurgia de Cabeça e Pescoço” é a fonte mais detalhada e confiável sobre todos os aspectos da cirurgia de cabeça e pescoço. Totalmente atualizada, a obra ainda conta com as mais recentes opções de tratamento em assistência pediátrica discutidas nos novos capítulos sobre distúrbios do sono pediátricos, doenças infecciosas pediátricas e avaliação e conduta da via aérea infantil.

Concebida como um recurso definitivo, o título representa, em toda sua diversidade, os principais componentes da otorrinolaringologia, bem como os mais recentes avanços na cirurgia minimamente invasiva, na orientação de imagem, na robótica e no implante coclear, entre outros temas correlatos.





Cummings Otorrinolaringologia - 6ª edição
Editora Elsevier
Páginas: 1888
Preço: 999,90

Formato: 216cm X 276cm



Este post não possui conflitos de interesse e a divulgação é feita de maneira gratuita para fins de informação dos leitores deste blog. Caso tenha interesse em divulgar seu material, entre em contato.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como radiologistas e patologistas podem vencer no jogo de detetive (Divulgação)

Por Paula J. Woodward, MD*


A radiologista Dr. Anne G. Osborn certa vez comparou a profissão de radiologia ao popular jogo Detetive. Em uma entrevista em 2008, a Dr. Osborn brincou: “É nosso trabalho (como radiologistas) dizer: 'Sra. Green fez isso na sala de jantar com a chave inglesa”.



É um fato que os radiologistas são como “detetives clínicos” que reúnem imagens médicas de pacientes, resultados de exames e outras pistas - como evidências clínicas existentes e referências - para avaliar e diagnosticar as condições. No entanto, está se mostrando desafiador resolver com precisão e eficiência cada “mistério médico”.



A explosão da base de conhecimento médico denota uma era de pistas infinitas. Com a literatura biomédica em breve esperada para dobrar a cada 73 dias, radiologistas, patologistas e outros profissionais de saúde estão sendo bombardeados com pistas que tornam tecnicamente impossível manter-se.



Além disso, o fornecimento de pistas exatas que são relevantes para o paciente e…

Ressonância Magnética

Um bom material de ressonância magnética pode ser baixado aqui




Princípios Físicos Ressonância MagnéticaView more presentations from Alex Eduardo Ribeiro

Vídeo - upgrade de um sistema de ressonância magnética

Este vídeo em timelapse mostra um upgrade do sistema Trio para um sistema Magneton de 3T, realizado no  Biomedical Imaging Center do Beckman Institute (Universidade de Illinois).




Serviços de upgrade costumam ser oferecidos pelos próprios fabricantes, como a Siemens (clique para ver mais informações sobre upgrade),  e incluem substituição dos sistemas de gradiente, unidades de processamento e sistemas eletrônicos.