Pular para o conteúdo principal

Webinar gratuito para radiologistas aborda a necessidade de suporte tecnológico para uma melhor rotina de procedimentos na área

Patrocinado pela Elsevier e apresentado pelo Prof. Dr. Renato Sabbatini, aborda sistemas de alta qualidade para imagenologia médica, anatomia patológica e acesso à informação científica

 O dia a dia de um serviço de telemedicina diagnóstica envolve dezenas de decisões que compõe o laudo final para os exames recebidos. Esses documentos necessitam de um ótimo suporte tecnológico para agilizar as decisões, resolver os ocasionais casos difíceis ou em dúvida, obter apoio da literatura para decisões baseadas em evidência; aumentar a segurança dos diagnósticos e os riscos jurídicos de erros. Modernos sistemas de auxilio ao diagnóstico já estão disponíveis online e podem ser integrados aos softwares de telemedicina, inclusive PACS para telerradiologia. No webinar que acontece dia 17 de agosto às 17h, o Prof. Dr. Renato M.E. Sabbatini, um dos pioneiros das tecnologias de telemedicina e sistemas de apoio à decisão médica no Brasil e na América Latina, apresenta sua experiência com sistemas de alta qualidade para imagenologia médica, anatomia patológica e acesso à informação científica. São plataformas modernas e resolutivas, que alavancam resultados de qualidade da empresa ou serviços de medicina diagnóstica presencial ou a distância. A participação no webinar é gratuita. AGENDA Webinar: Sistema de Apoio Online ao Diagnóstico em Telemedicina. Como Integrar e Utilizar. Palestrante: Prof.Dr. Renato M.E. Sabbatini, PhD, CPHIMS Data e horário: 17 de agosto de 2017, às 17h


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Biossegurança em radiologia odontológica

Este vídeo do canal Radiologia Odonto UEL mostra os principais cuidados com a biossegurança durante a tomada de radiografia odontológica.



Como radiologistas e patologistas podem vencer no jogo de detetive (Divulgação)

Por Paula J. Woodward, MD*


A radiologista Dr. Anne G. Osborn certa vez comparou a profissão de radiologia ao popular jogo Detetive. Em uma entrevista em 2008, a Dr. Osborn brincou: “É nosso trabalho (como radiologistas) dizer: 'Sra. Green fez isso na sala de jantar com a chave inglesa”.



É um fato que os radiologistas são como “detetives clínicos” que reúnem imagens médicas de pacientes, resultados de exames e outras pistas - como evidências clínicas existentes e referências - para avaliar e diagnosticar as condições. No entanto, está se mostrando desafiador resolver com precisão e eficiência cada “mistério médico”.



A explosão da base de conhecimento médico denota uma era de pistas infinitas. Com a literatura biomédica em breve esperada para dobrar a cada 73 dias, radiologistas, patologistas e outros profissionais de saúde estão sendo bombardeados com pistas que tornam tecnicamente impossível manter-se.



Além disso, o fornecimento de pistas exatas que são relevantes para o paciente e…