Pular para o conteúdo principal

Radiologia odontológica é importante ferramenta para a solução dos mais diversos problemas bucais

Lançamento da Elsevier, a 5a edição do tradicional Radiologia Oral - Exercícios e Interpretação traz novos capítulos e mais de 600 imagens coloridas com cenário de casos clínicos, além de exemplos, perguntas e dicas

 De acordo com o Ministério da Saúde, metade dos brasileiros que tem entre 35 e 45 anos já perdeu ao menos 12 dentes. Atualmente, 80% dos idosos têm menos de 20 dentes na boca. O levantamento sobre a Saúde Bucal no Brasil foi realizado pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP). 

O conhecimento dos procedimentos em odontologia são muito importantes na formação de profissionais que podem colaborar com a mudança das condições da saúde bucal no Brasil. Dentre as especialidades está a radiologia odontológica, cujo livro Radiologia Oral - Exercícios e Interpretação é um tradicional meio de estudos, com seu formato único, que mistura atlas com perguntas e respostas. A Elsevier está lançando a 5a edição da obra, que traz novidades.

 Radiologia Oral 5a edição apresenta novos capítulos, tais como Princípios Básicos de Radiologia Odontológica, Controle de Infecção Radiológica, Detecção de Cáries e Radiografias Panorâmicas interproximais, Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico (TCFC) e Imaginologia em Implantodontia. 

 Grande destaque da nova edição é a adição de imagens em cores. São mais de 600 imagens em cenário de casos clínicos, além de exemplos, perguntas e dicas. O livro também aborda os principais erros de interpretação, bem como os achados normais e anormais, tornando esta obra uma ferramenta fundamental nos estudos e uma referência clínica para o curso de Radiologia Oral. 

 “Trata-se de um Livro muito interessante, que traz uma dinâmica ótima para os estudantes e profissionais leitores, pois podem realizar uma leitura ativa, sempre sendo estimulado a pensar. Assim, com essa metodologia, objetiva o ensino de Radiologia Odontológica, desde a parte mais básica, até a interpretação radiográfica”, explica o revisor científico Plauto Christopher Aranha Watanabe, Prof. Dr. Associado Depto. DESCOL FORP/USP, Chefe da Seção de Radiologia e Radioproteção da FORP/USP e especialista em Radiologia Odontológica e Imaginologia – CROSP. 


 Este post não possui conflitos de interesse e a divulgação é feita de maneira gratuita para fins de informação dos leitores deste blog. Caso tenha interesse em divulgar seu material, entre em contato.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Biossegurança em radiologia odontológica

Este vídeo do canal Radiologia Odonto UEL mostra os principais cuidados com a biossegurança durante a tomada de radiografia odontológica.



Como radiologistas e patologistas podem vencer no jogo de detetive (Divulgação)

Por Paula J. Woodward, MD*


A radiologista Dr. Anne G. Osborn certa vez comparou a profissão de radiologia ao popular jogo Detetive. Em uma entrevista em 2008, a Dr. Osborn brincou: “É nosso trabalho (como radiologistas) dizer: 'Sra. Green fez isso na sala de jantar com a chave inglesa”.



É um fato que os radiologistas são como “detetives clínicos” que reúnem imagens médicas de pacientes, resultados de exames e outras pistas - como evidências clínicas existentes e referências - para avaliar e diagnosticar as condições. No entanto, está se mostrando desafiador resolver com precisão e eficiência cada “mistério médico”.



A explosão da base de conhecimento médico denota uma era de pistas infinitas. Com a literatura biomédica em breve esperada para dobrar a cada 73 dias, radiologistas, patologistas e outros profissionais de saúde estão sendo bombardeados com pistas que tornam tecnicamente impossível manter-se.



Além disso, o fornecimento de pistas exatas que são relevantes para o paciente e…